Arquivo da categoria: Internet

Internet, A Nova Rádio?

Nova-Rádio

Quando o rádio surgiu, transmitindo músicas para todo mundo de graça, teve gente que chiou. Achou que era o fim da indústria fonográfica, que tava tudo acabado e mimimi… Pois bem, o rádio veio e praticamente se foi (você ainda escuta rádio? Pois deveria, é muito bom) e a indústria fonográfica não faliu e está aí, nem tão firme quanto antes, mas bem forte como sempre. O rádio foi o grande difusor que alavancou a carreira de inúmeros artistas muito conhecidos do público hoje, mas que na época não passavam de coitados que tocavam na garagem do guitarrista e só eram conhecidos pelo bairro, pela barulheira infernal que faziam nos ensaiso (Pink Floyd, Metalica, e por aí vai). Ora, eles eram odiados pela vizinhança mas no mundo alguém iria gostar não é mesmo? Pois bem, na época antes da internet você conhecia bandas novas através das ondas do rádio, ouvia, e talvez até gostava.

Tempos atuais: A geração mais nova nem sabe que o rádio existe, ou acha que é apenas um elemento da tabela periódica então, como eles descobrem aquela banda mega cool de indie que tá fazendo o maior sucesso na Holanda com músicas super maneiras e letras cheias de sentido? Pois bem, a internet tem esses dons.

Volta no tempo e cruza com o agora: “Meu Deus! Os downloads ilegais e o YouTube vão destruir a indústria fonográfica!!!!”

Perceberam a “incrível” semelhança? Notem que quando se fala de música pela internet, pirataria é primeira coisa que vem à cabeça da maioria das pessoas e é totalmente compreensível. Na internet eu tenho acesso a tudo que eu quiser e quando quiser, pagando por isso ou não. Eu acho sim, que a internet é a nova rádio, já que de certa forma ela divulga o trabalho de artistas muito bons que estão aí, só esperando sua vez de brilhar. E olhe que tem muitos por aí nessa situação. A internet possibilitou à essas pessoas exporem seus talentos de forma muito mais democrática que a própria rádio. Pra tocar na rádio, mesmo naquela época você tinha que ter pelo menos algo já produzido e até uma gravadora. Hoje uma câmera na mão e um violão podem fazer um tremendo sucesso no YouTube e isso abre o olho das gravadoras e empresários. Um artista amador, quando é talentoso, bem assessorado e com apoio profissional pode surpreender até quem está no ramo a anos.

Voltando ao assunto da pirataria, eu tenho uma opinião diria, até polêmica: Quem baixa conteúdo protegido por copyright na internet para uso próprio, acho que não está comentendo pirataria, e sim procurando meios de entretenimento. Pirataria para mim, é quando alguém usa esse conteúdo para ganhar dinheiro, tipo, baixei o álbum novo do Kiss, gravei 500 cds e to vendendo cada a 2,50, isso sim é pirataria. Agora entra na memória aquelas propagandas “o dinheiro da pirataria alimenta o crime, o tráfico de drogas, e o assassinatos de duendes anões da terra encantada” e blá, blá, blá. Gente todo mundo tá cansado de saber isso, e é um assunto muito sério (principalmente por causa dos duendes), mas vamos combinar que isso não se aplica à internet né gente? O cd novo dos The Cataracs não foi “upado” para a rede por quem está querendo obter lucro e sim por fãs do duo, que compartilharam seus gostos para que outras pessoas escutem também e virem fãs, assim com eles! Simples assim, sem nenhum dinheiro envolvido. Olha o exemplo: Adele foi a cantora que mais teve músicas baixadas ilegalmente ano passado, mas também foi a que mais vendeu discos! Porque? Porque ela fez fãs que acharam que compensaria comprar um CD dela original para ter em coleção ou para escutarem com fidelidade exemplar! A internet é a nova rádio sim minha gente, e a indústria fonográfica não vai falir por causa dela.

Opinião pessoal: Artistas que reclamam do dinheiro que perdem na internet tão é enchendo o saco. A maior renda que eles recebem não é de vendagem de discos e sim dos shows que fazem (os inúmeros shows, que custam fortunas, e cujo ingresso que você paga custa modestros 500 reais, muuuuito mais do que um CD original). E você vai no show porque? Porque gosta, e provavelmente porque você viu o clipe da banda no YouTube ou baixou o album deles e gostou ora bolas!

A pirataria tem que ser combatida SIM. Mas deixem-nos escutar a nossa “rádio” em paz. Não estamos fazendo mal pra ninguém!

Até Logo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Internet

A Política de Direitos Autorais do Facebook


Facebook

Notei agora, que a política de proteção de direitos autorais do Facebook parece ser a mais rígida na qual esbarrei até agora.

Estou fazendo uma contagem regressiva para meu aniversário de formatura e junto com o Status, estou postando fotos antigas da turma, vídeos e etc. Eis que resolvi upar um vídeo direto para o servidor do Facebook, um slide-show com as nossas fotos do encarte e da beca com “Smile” de Charles Chaplin ao fundo e eis que mal o vídeo foi processado, recebo uma notificação dizendo que ele seria removido por possuir conteúdo de terceiros.

Apesar disso não fiquei chateado ou emputecido, já que realmente utilizei uma música licenciada para outra pessoa no meu vídeo, mas eu achei meio agressivo a forma como essa fato é tratado. Por exemplo, eu tenho esse mesmo vídeo (e vários outros na mesma situação) postados no YouTube, e eu também recebi notificação de que eles possuíam conteúdo protegido por copyright, mas diferente do facebook, o YouTube não removeu os meus vídeos, apenas adicionou nas informações que o mesmo possuía conteúdo criado pela empresa dona da música, por exemplo, e adicionou algumas propagandas no vídeo (aquele pop-up dentro do vídeo que a gente sempre fecha sem nem olhar direito o que é), mas tá lá, online pra quem quiser ver.

A solução foi linkar o vídeo do YouTube no Facebook, já que um não interfere na política do outro.

O que nos faz pensar é que, se existe soluções como a do YouTube, porque não pode ser aplicada ao Facebook também? Geralmente que faz esse tipo de vídeo não tem intenção de distribuir o mesmo e muito menos ganhar dinheiro com o tal. Pode até ser um meio interessante de divulgação do trabalho de algum artista pouco conhecido. Agir em parceria com os produtores desses tipos de conteúdo pode ser uma solução que agrada a todo mundo. Eu ganho, você ganha e a empresa também.

Até Logo!

1 comentário

Arquivado em Internet

Re-Again: Black & White Now!

Tragicomedia3!2011

Yahee gente boa!

Esse post é pra anunciar a coisa mais óbvia que vocês viram ao acessar o T3! hoje. Depois de 2 anos, mudei o layout e finalmente a Header do Blog. Incluí ainda um Background customizado para dar mais personalidade ao site. As mudanças ainda estão acontecendo portanto não se assuste se numa segunda visita você se deparar com algo novo. Bom, vamos falar da Header nova? Bom, então, eu estava cansado com aquela mesma tipografia fazia tempo, mas não conseguia achar uma letra que me satisfizesse e eis que eu acho a fonte Zegoe, a nova fonta da Microsoft que está presente no Zune HD e nos novos smartphones movidos a Windows Phone 7 e achei muito legal. O Título é composto pelas 4 variações da fonte, Zegoe Caps, Zegoe UI, Zegoe UI-S e Zegoe Light, e os simbolos representam o que eu costumo postar aqui, como críticas leigas de música, Jogos de variadas plataformas, filmes e dicas de informática e é claro, as máscaras representavitas do teatro, que simbolizam o blog, mas tipo, eu nunca postei nada sobre teatro aqui, apesar do título. Mudei também o subtítulo do Blog, devido aos recentes acontecimentos que andam assolando o globo. Olhando por essa perspectiva, “rir da desgraça alheia” não é muito divertido, então resolvi destacar as coisas básicas da vida que acontecem conosco no nosso dia a dia e que de certa forma nos marcam. A mudança, como podem notar, não é apenas visual. Vou tentar postar textos mais maduros e inteligentes, sem perder minhas melhores características e quem sabe assim, trazer algo de legal para a rede.

Aproveitem essa nova fase, tentarei ser frequente com as postagens.

Até a próxima.

Deixe um comentário

Arquivado em Espectadores, Internet