Arquivo da categoria: O Office 2007 e os Universitários

Estética e Organização é Tudo

 

Apresente Bonito 

Sim pessoal, eu não parti dessa pra melhor, estou sobrevivendo sem meu pc em Uberaba e a faculdade está tomando todo o tempo que antes eu tinha de sobra, mas isso não impede de eu tentar pelo menos postar algo útil para vocês.

Apresentar trabalhos acadêmicos em PowerPoint é uma arte. Diferente do que todo mundo pensa, formatar uma apresentação de Slides pode ser muito mais complicado se o apresentador quiser fazer uma coisa bem feita, e tudo começa na escolha do tema do dito cujo, o que inclui plano de fundo, cores, tipo de fonte e por aí vai. Vamos às regrinhas?

1) Nunca escolha cores sólidas como plano de fundo.

O plano de fundo é o elemento de conforto visual e atenção do Slide. Usar uma cor sólida sem nenhum elemento visual extra é equivalente a caixão e vela preta. Pior ainda, é utilizar uma cor de fonte NADAVER com a cor do fundo. Parece até brincadeira falando assim, mas acredite: tem gente gabaritada que não sabe formatar um plano de fundo de forma decente, como por exemplo uma doutora da USP que deu uma palestra num simpósio um dia desses que eu fui e formatou o slide dela com um fundo azul zumbi e letras pretas e mais nada. Ficou tão ruim que eu só ia ver que o slide tinha mudado depois que ela tinha passado uns três. A dica é utilizar elementos de plano de fundo suaves e elegantes ou então um degradê básico. Fica a dica de que os temas prontos disponíveis na Aba Design são uma ótima saída para não cometer gafes desse tipo… maaaass… se você quer um diferencial na hora da sua apresentação, gaste um pouco de tempo e disposição para criar o seu próprio tema. Atenção, usar fotos como plano de fundo é uma faca de dois gumes, pode dar muito certo, mas pode ser um desastre total, porque cansa ficar vendo sempre a mesma coisa slide após slides (nos temas sem foto, isso não acontece porque o texto age como variante e o plano de fundo é apenas mais um plano de fundo). Se você acha que REALMENTE é NECESSÁRIO o uso de uma foto ou uma imagem qualquer no plano de fundo, limite-se a fazer isso apenas em slides de títulos e cabeçalhos de sessão, pois usar esse plano de fundo (que geralmente é colorido, nítido e bem aparente) pode entrar em choque com cores de letra em determinados pontos e pesa o uso de ilustrações e fotos ao longo da sua apresentação. Dica: Não use fotos, se usar, analise se realmente vale a pena.

Hurg! Melhorou, mas não é original Simples, mas original

2) Texto demais é demais

Eu sei que muita gente tem sérios problemas na hora de fazer um resumo, imagina resumir um texto de  muitas páginas (por exemplo, o seu TCC) em no máximo 20 Slides? Acontece que infelizmente meu amigo, não há do que fuigr. Há uma coisa pré-definida nesses temas pronto nas caixas de texto que são os tópicos. Limite o texto a no máximo 4 a 5 tópicos curtos por slide. Eu sei, você que tem dificuldade deve estar me xingando, mas não tem jeito. Visualmente é infinitamente melhor e muito mais confortável para quem está assistindo a apresentação ler apenas um breve trecho do assunto do que um postulado sem fim (e com a letra pequena porque o texto que você queria colocar não “cabeu” no slide…). E tem o agravante da disputa de atenção: A estrela da apresentação é VOCÊ e não o slide, ele funciona como aquele ator coadjuvante que enriquece e ajuda o protagonista. Se você coloca texto demais no slide, as pessoas não vão conseguir prestar atenção nem em você e nem nos seus slides porque elas não sabem se leem a bíblia que você escreveu ou se prestam atenção no que você está falando. Lembre-se, o texto no slide é pra quem está ASSISTINDO, e NÃO PARA VOCÊ. Você tem a OBRIGAÇÂO de saber de cor e salteado, de trás pra frente, de dentro pra fora, o trabalho que você está apresentando. Além disso, texto demais estraga totalmente a regra nº 1, as pessoas nem vão perceber se a apresentação ficou bonita. A dica fica por usar nos tópicos, ganchos de raciocínio. Perdeu ou esqueceu o que ia falar? Dê uma olhadinha nos tópicos, não é pecado. Pecado é ler literalmente o que está escrito lá, parece até que você é um robozinho automatizado, e que mesmo que tenha estudado horrores pra apresentar, fica a impressão que você nem sabe do que está falando. Para evitar esse vício da leitura, treine antes em casa frase parecidas com os tópicos, sinôminas à elas e utilize estas frase ensaiadas na hora a apresentação. Improviso também é válido, não sendo palhaçada, é claro. E gente, OLHO dos erros de português, pelo amor de Deus…

O Caos... A Ordem 

2.1) Uma imagem…

Apresentação sem imagens, ilustrações, esquemas de SmartArt ou organogramas deixa uma impressão de “estar faltando alguma coisa” pra quem assiste. Ilustrar a sua apresentação é imprescindível. Use fotos em resolução boa e evite ficar esticando fotos pequenas para preencher o slide (se não tiver como conseguí-las em tamanho maior, não use). Redimensione as imagens segurando Shift para manter a proporção da foto evitando que ela fique distocida. Uma vez eu vi uma apresentação apenas com fotos e ficou perfeita. Aqui tem um exemplo muito legal de apresentação com fotos/gráficos que dispensa qualquer texto. Lembre-se sempre de referenciar as imagens, mas não use o link completo tipo http://www.lanaputaqueraiu… ao invés disso, fazendo a pesquisa no Google, use o endereço em verde que fica em baixo da imagem:

Ke$ha no Google Imagens

Coloque a imagem na apresentação e cole o Link numa caixa de texto em baixo, do lado, onde você quiser:

Na sua apresentação

3) Mostre que seu Slide está VIVO! MOVIMENTO, MOVIMENTO!

As aminações foram feitas para serem usadas. Um Slide parado é desinsteressante, entretanto usar demais esse recurso e com efeitos de animações escadalosos pode ser uma pisada no buraco. Explore bem as animações e teste as melhores opções, principalmente para texto e imagens. Fiz um post sobre como usar animações nas apresentações e outro de como inserir vídeos na apresentação. Explore todos os recursos que você tiver para dar à pessoas que estão assistindo a melhor experiência que o PowerPoint proporciona. Vai ser bom para você e para quem assiste é muito mais confortável. Dica: se você não tiver tempo ou saco para ficar animando a sua apresentação, anime pelo menos as transições de slides para quebrar a sequidão da apresentação. Lembre-se de aplicar a todos os slides:

Transições

NÃO use a transição automática NUNCA, mesmo que você tenha ensaiado um mês os tempos de transição. Imprevistos sempre acontecem.

Evite usar o recurso do clique do mouse (padrão) para cada parágrafo animado, ou anime tudo de uma vez ou programe para que a animação dos parágrafos/tópicos seguintes sejam automáticos logo após o término da animação do anterior.

3.1) (Nível Intermediário) Automatize tudo com o Slide Mestre

Se você tem um pouco de domíno dos recursos, você pode automatizar animações pelo Slide Mestre. Para exibir o Slide Mestre, vá na Aba “Exibição” e clique em “Slide Mestre”. Vai aparecer os Layouts dos slides pra você animar como quiser (mas como disse antes, use o bom senso):

Slides Mestres

Para editar, clique na CAIXA DE TEXTO, na aba Animações e faça as alterações que você quiser.

Animações pré-definidas Animações personalizadas

Quando tiver terminado, clique na aba “Slide Mestre” e depois em “Fechar modo de exibição mestre” Pronto, agora todos os Slides que você criar e os já criados estarão animados automaticamente.

3.2) (Nível Avançado) Mexendo com tempo nas animações e animações simultânas.

Eu coloquei avançado aqui, porque é um porre mexer com os tempos e com as opções avançadas das animações mas acredite, vale muito a pena. Para ficar mais fácil, tente automatizar esse processo nos Slides Mestres. Isso evita ficar repitindo as mesmas ações em cada slide que você for animar. Primeiro, vamos nos Slides Mestres novamente, e faça exatamente como no item anterior. Agora vamos animar o texto com dois efeitos de entrada simultâneos, o Surgir e o Desaparecer. Clique na caixa de texto do título e aplique esses dois efeitos (pode acontecer de você simplesmente alterar o efeito, para evitar isso, clique fora do slide e selecione a caixa de texto novamente).

Animar simultaneamente

Agora vamos animar o área reservada para o texto, faça da mesma forma, vai ficar assim:

Lista de Animações

Agora nós vamos fazer com que o Surgir e o Desaparecer ocorram simultaneamente fazendo assim o texto surgir aparecendo. Como vamos querer que tudo ocorra sem a nossa intervenção, vamos colocar tudo para iniciar com o anterior, menos o primeiro que queremos que ocorra após a aminação da transição. Selecione todo os efeitos e na caixa “Velocidade” escolha a melhor opção de sua preferência:

Configurando

Agora nós vamos mexer no Tempo nas opções avançadas da animação, para melhor visualizar, clique com o botão direito em qualquer animação e escolha “Mostrar Linha do Tempo Avançada”, Selecione a caixa reservada para o texto (tópicos), vai estar selecionado os dois efeitos, clique com o botão direito em cima de um deles e selecione “Opções do Efeito…”

Opções do Efeito

Aqui nós temos mais poder de ação, com vários recursos, explore todos eles quando esse tutorial acabar para descobrir o que acontece. Cada efeito possui uma propriedade diferente, então algumas opções não estarão disponíveis para todos eles, entretanto você pode editar tranquilamente. Vamos fazer algumas alterações aqui. Na caixa “Animar Texto” vamos mudar de “Tudo de uma Vez” para “Por Palavra” e vamos zerar a porcentagem de tempo que vai levar para uma palavra aparecer após a outra:

Opções do Efeito

Agora, na aba Intervalo vamos definir a “Demora”. Isso significa que mesmo eu querendo que a animação aconteça junto com a do título, eu quero que ela leve alguns décimos de segundo para acontecer depois da primeira para a apresentação ficar mais dinâmica. Vamos escolher uma demora de 0,2 segundos.

Aba Intervalo

Note que aqui também há a opção da velocidade, se você deseja repetição de animação entre outras opções. Dê Ok e teste a animação;

Para mais elementos, vá animando sempre com 0,2 segundos de intervalo, tipo: Item 1 = 0, Item 2 = 0,2, Item 3 = 0,4 e por aí vai.

Esse recurso de demora é útil também, por exemplo, caso você queira que certo elemento apareça e desapareça da apresentação de forma automática, mas não imediatamente.

Nas opções do Surgir, marque a caixa “Fim Suave”

4) Som? Só se for apresentação de circo…

Simples e práico: ESQUEÇA QUE A FUNÇÃO ADICIONAR SOM EXISTE (nem sei pra que que tem isso…) Ahhh, e nada de musiquinha de fundo tipo aquelas apresentações melosas que você recebe por email, você está apresentando um trabalho, não mostrando seu gosto musical.

5) Corpo e Voz

Essa é a mais importante das dicas, mas não tem nada a ver com o visual do slide. Tem a ver com o SEU VISUAL. Portar-se bem diante de muita gente é desafiador para algumas pessoas, principalmente quando estamos sendo avaliados (por aquela professora casca grossa que adora te sacanear). Fique firme, porque, se você estudou, sabe o assunto, não tem problemas para falar e se porta e expressa bem, não há o que temer. Agora… se você é uma anta e não sabe nada, não estudou e foi lá, com a cara e com a coragem meu amigo… firmeza é pouco pra você. A dica é: Esteja preparado e estudado. Se for uma apresentação formal para uma banca avaliadora ou para o público, uma palestra por exemplo, vista-se bem (dependendo, use roupa social, gravata, todas aquela firulinhas), mantenha-se ereto, fale alto e com confiança e não fique encarando um só avalador (aquela professora casca grossa que quer o o seu couro curtido pra fazer atabaque), olhe para todos eles e sorria sempre que a ocasião permitir, mesmo que você esteja com dor de barriga de nervoso, lembre-se disso. Ahh, antes de iniciar a apresentação, cumprimente os ouvintes com um “Bom dia” ou equivalente, se apresente e a apresente seus companheiros de grupo (se houver) e nunca se esqueça de ler o título do seu trabalho antes de qualquer coisa.

Por hoje é só meus amigos. Tentarei postar ainda sobre como fazer o seu próprio tema de PowerPoint usando os Slides Mestres para facilitar a vida de vocês.

Até a próxima!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em O Office 2007 e os Universitários

Usando Animações no PowerPoint

Usando Animações no PowerPoint

Uma coisa que noto sempre que apresento um seminário onde coloco inúmeras animações para representar melhor o tema que estou abordando, é o total desconhecimento dessa ferramenta do PowerPoint, ou então as perguntas tipo: “Como que você conseguiu fazer isso?” “Nossa, que legal, eu queria saber fazer igualzinho”

Pois bem, eu venho aqui novamente ensinar como deixar sua apresentação mais dinâmica e bonita, mais fácil de compreender e deixar os seus professores satisfeitos.

Nesse Tutorial eu não ensinarei simples técnicas de animação, como animar texto e etc, mas sim algo mais, vamos dizer assm… avançado. Esse poderá ser um tutorial bem longo.

Para começar, abra seu PowerPoint, escolha o tema, e faça sua apresentação. Para esse exemplo, vamos utilizar círuculos e as trajetórias de animação. Para esse exemplo, utilizei o Design Verve com as cores e efeito alterado alteradas. Lembrando sempre que você pode clicar nas imagens para vê-la em tamanho maior. Ainda colocarei o pptx no meu SkyDrive para que você o baixe e execute esse tutorial, caso prefira treinar passo a passo, senão, pode somente ler e usar os seus próprios elementos. Clique na Imagem abaixo para baixar o arquivo.

Design Escolhido

Vamos começar, primeiro desenhe TUDO o que tem que ter na sua animação, mesmo que isso se torne uma tremenda bagunça. Tudo se ajeitará no final. No exemplo, vou usar as formas estrela e quadrado. O objetivo é fazer a estrela e o quadrado aparecerem um logo após o outro e depois, fazer com que a estrela mova-se para dentro do quadrado:

Elementos que vamos Animar

Vamos agora na aba Animações e escolheremos a opção Animação Personalizada

Animação Personalizada

Caixa de Animação

Clicando no elemento que você deseja animar, o botão adicionar efeito fica tivo, nessa opção, temos quatro tipos de efeito: Os de Entrada, os de Ênfase, os de Saída e as Trajetórias de Animação.

Efeitos de Animação

Como queremos que a estrela apareça, vamos escolher o menu “Entrada”. Na seta de expansão, podemo ver alguns efeitos básicos, mas ainda há vários efeitos que você pode escolher, e inclusive pré-visualizar. Escolhi o efeito “Desaparecer”, que apesar desse nome, como é um efeito de entrada, o objeto aparece.

Opções de Efeitos de Animação

Vejam, agora tem um efeito na lista de efeitos, e suas propriedades estão ativas.

Lista de Animação

Falaremos sobre essas propriedades adiante

Pronto, a estrela já está animada, agora é a vez do quadrado, escolha o mesmo efeito para ele pra não destoar da dinâmica da apresentação. Assim teremos esta lista:

Lista de Animação

Como disse no começo, queremos que os dois apareçam ao mesmo tempo, o ícone do mouse indica que ele só aparecerá quando houve um clique ou uma intervenção do teclado. Para isso, você pode clicar com o botão direito do mouse em cima do efeito do Retângulo e escolher “Iniciar com o anterior”, ou usar a caixa de seleção em cima da lista chamada “Início”

Opções de Início e Comando

Pronto, a primeira etapa está concluída. Para testar eu recomendo sempre iniciar a apresentação para ver se não tem nenhum erro. Só para explicar: O número na frente do efeito na lista de efeitos, é a ordem na qual o efeito vai acontecer. A estrela indica o tipo de efeito e o nome é o nome do objeto que você está animando.

Agora está na hora de fazer a estrela ir para dentrinho do quadrado. Clique na estrela e vá ao painel de animação e escolha no botão “Efeitos” a Tragetória de Animação e selecione “Desenhar trajetória de animação” e logo depois “Linha”

Menus das Trajetórias de Animação

Vai aparecer uma cruz de precisão na ponta do mouse, leve-a ao centro da estrela, clique e arraste para o centro do quadrado. A animação da estrela se movendo irá acontecer imediatamente após o risco estar feito. Se a estrela/elemento que estiver animando se esconder sob o outro elemento, selecione-o, vá até a aba que apareceu chamada “Formatar” em Ferramentas de Desenho e escolha a opção “Trazer para Frente” na sessão “Organizar”.

Traço sendo feito

Traço da Animação Pronto - A ponta verde indica o início e a ponta vermelha indica o final

Agora vêm a parte mais chata. Acontece que nem sempre essa trajetória fica onde deveria ou onde você deseja. Para solucionar isso, é possível editar o ponto de partida e chegada do objeto, mover a trajetória com o Ctrl e as setas do teclado para ficar mais preciso ou até redimensionar a trajetória

Notem, a posição da trajetória desse desenho está mais em baixo, comparado com a imagem acima

Desse modo, a estrela vai se encaixar perfeitamente no quadrado

Movimento da Estrela

Movimento Finalizado

Você pode utilizar várias ferramentas interessantes nas trajetórias de animação para valorizar o seu trabalho, dependendo do tema que você estiver expondo. Eu por exemplo, uso de vez em quando, anticorpos se ligando a antígenos, movimentos de semeaduras em meios de culltura em placas de petri. Exemplificações de reações químicas, ligases de DNA e muitas outras coisinhas básicas. Fiz uma vez, um seminário sobre a dengue, onde havia um mosquito voando por todos os slides, usando os Slides Mestres, mas isso fica pra um próximo tutorial. Veja também meu post sobre Inserir Vídeos diretamente no PowerPoint e sobre Estética e Organização.

Ninguém me ensinou nada disso, eu aprendi mexendo. Seja curioso, fuce sem parar, brinque, explore os recursos dos seus programas e seja um ótimo apresentador. Aqui alguns exemplos de animação para você verem o que é possível fazer com esse recurso do Power Point Clique na Imagem para Baixar.

image

Espero que consigam. Até a Próxima

6 Comentários

Arquivado em O Office 2007 e os Universitários

Estilos Rápidos do Word 2007 nas Normas da ABNT

 

Todo mundo sabe que as normas da ABNT aterrorizam milhares de Universitários no Brasil inteiro, principalmente os calouros. Então eu vou ensinar aqui nesse tutorial que, acreditem, vai ser uma mão na roda pra muita gente.

Os Estilos Rápidos do Word 2007 é um recurso novo que permite que você formate os texto de forma complexa, como fonte, tamanho da fonte, cor da fonte, parágrafo, espaçamento entre linhas entre outras coisas, apenas com um único clique.

Estilos Rápido no Ribbon do Word 2007

É claro, que, os brazucas de plantão foram esquecidos, mas isso não impede a nós darmos um jeitinho. Vamos começar: clique no botão Alterar Estilos, depois em conjunto de estilos, e no final da lista, Salvar como conjunto de estilos rápidos.

Salvando um novo conjunto de Estilos Clique nas imagens para ampliar

Salve esse “novo” conjunto como ABNT

ABNT

Volte em Alterar Estilos e escolha o recém criado ABNT. Atenção, ele vai ser cópia provavelmente do estilo padrão que estava selecionado, por isso quando ele é selecionado no Alterar Estilos parece que não alterou nada. Escolha ele na lista Modificar Estilos

Clique com o botão direto nos estilos e vá escolhendo modificar. Vai abrir uma caixa de texto com todas a formatação necessária que você vai precisar

Formatando o Estilo

Agora pegue aquela apostila odiada que os seus professores te passaram com as normas malignas da ABNT para colocar a mão na massa. Inicialmente vamos formatar os Títulos da capa, que deve ter tamanho 14, negrito e caixa alta e centralizado. Para isso vamos nomear o estilo como Capa

Capa

Depois selecione as configurações das Normas: Times New Roman, 14, negrito, cor preta (automático) alinhamento centralizado e espaçamento simples.

Formatação da Capa

Para deixa todas em maiúsculas, selecione o botão Formatar e depois Fonte…

Formatação da Fonte

Escolha a opção Todas em Maiúsculas e aperte OK. Depois vá em Formatar, Parágrafo… e selecione a opção Não adicionar espaço entre parágrafos do mesmo estilo (nota, faça isso com TODOS os estilos que você for fazer)

Pronto, o estilo capa já está pronto.

Novo estilo criado por você

Agora, vá fazendo o mesmo com os estilos seguintes. Por exemplo, nomeie ele como Corpo do Texto, configure a formatação para Times New Roman, tamanho 12 e por aí vai. Vá fazendo isso para todos os formatos de apresentação, com citação com mais de 8 linhas, referências e etc.

Agora PRESTE MUITA ATENÇÃO!!!!!!

Depois de tudo arrumado, vá em Alterar Estilos e salve novamente o seu ABNT, por cima daquele que você tinha salvado no começo senão  VOCÊ VAI PERDER TUDO O QUE FEZ.

Quando quiser usar esses estilos, vá em Alterar Estilos e escolha o ABNT, selecione o texto que você deseja formatar, clique no estilo que ele deve ter e Pronto

É chato de fazer, mas pode ter certeza que depois de feito, você vai estar feito.

Espero que façam bom proveito

Até a próxima

39 Comentários

Arquivado em O Office 2007 e os Universitários

Inserindo Vídeos Diretamente no PowerPoint

Um ótimo recurso do PowerPoint que quase ninguém conhece ou simplesmente ignora por não saber usar é a inserção de vídeos diretamente na apresentação, nos slides mesmo. Quantos de vocês já se depararam com um professor que, para mostrar um vídeo relativo àquele assunto abordado na aula com o Data Show, espera a apresentação acabar ou minimiza a apresentação para reproduzir um vídeo qualquer no player padrão do PC utilizado? Pois bem, agora está na hora de vocês mostrarem que sabem mexer no “novo programinha de slides” da Microsoft.

Vamos lá, primeiro você vai abrir o PowerPoint (Dããã) e monta a sua apresentação

O PowerPoint 2007 possui modelos de Design interessantes, mas vários outros podem ser baixado pelo próprio programa mesmo via Office Online. Os modelos de Design possuem recursos especiais que é a formatação geral a apresentação, ou seja, você pode mudar todo o layout da apresentação com um único clique.

Você também pode mudar o esquema de cores, as fontes e os efeitos de preenchimento de formas independente do design escolhido. As cores e as Fontes são personalizáveis, os estilos não.

Assim você pode escolher o que mais te agrade. Eu escolhi o tema Pintura Yamato para esse exemplo.

Ao criar um novo Slide, vai aparecer o Layout Título e Conteúdo por padrão, assim fica mais fácil você inserir o vídeo clicando no ícone do tal, já que é um atalho

Ou então, você pode ir na aba “Inserir” e escolher, lá na última opção em Clipes de Mídia e inserir Vídeo.

Agora você deve estar pensando…

“Ahhh, mas é simples demais… Que tutorial Idiota!!!”

Pois é, só que quem vai ficar com cara de idiota é você se fizer APENAS ISSO e quando virar pra sua turma e dizer: “Agora eu vou mostrar um Vídeo” e ele não passar, porque o caminho que o programa vai usar é o que está no seu computador. Ou seja, se no seu PC a vídeo estiver em C:\Vídeos, NO SEU PC ele vai rodar tranqüilo, mas no PC da faculdade onde a apresentação vai acontecer de fato, quando o programa procurar o vídeo em C:\Vídeos, ele não vai encontrar, porque aquele C:\ não é o mesmo HD, talvez nem exista (ou praticamente com certeza) a pasta Vídeos lá.

Para que o vídeo passe dentro do PowerPoint é necessário que ele esteja na mídia removível que você está carregando a apresentação.

Simples? Nem Tanto…

Acontece que o vídeo já tem que estar previamente dentro da mídia quando ele for inserido. Para tanto tenho duas diquinhas básicas. Uma para CDs e outra para Pendrives.

Para CDs:

Como disse antes, é necessária a prévia gravação, portanto, utilize a gravação de multisessão, que é aquela que permite que arquivos sejam gravados posteriormente no Cd após uma primeira gravação; É como se o Cd não fosse Selado ou Finalizado.

Para gravar um Cd em Multisessão, utilize o famigerado Nero Express ou Nero BurnigRom. Eles possuem essas opções, é só você procurar.

Mas, como nem todos usam o Nero (que é pago). Para gravar um disco multisessão sem o Nero, é recomendável utilizar a própria gravação do Windows.

Para isso, se você estiver usando o Windows XP, insira um Cd vazio no drive, vai aparecer uma opção de execução automática, escolha a “Gravar CD de Dados”, vai abrir a janela do Cd em Branco. Arraste para lá o arquivo de vídeo e clique em “Gravar” que fica na lateral esquerda do monitor.

Se Você estiver usando o Windows Vista, cuidado. Nesse sistema há um recurso “novo” de gravação que pode ser um dor de cabeça. É o sistema de gravação mais conhecido pelo software InCD (do Nero também) o “Sistema de Arquivos Ativos” que permite que você adicione e apague arquivos do cd como se ele fosse uma unidade flash ou um disquete (isso ainda existe??). E é aí que mora o perigo, pois essa opção está no padrão e ela não costuma ser assim, essa maravilha toda que todo mundo pensa, além disso ela é incompatível com outros sistemas operacionais não Windows ou abaixo do XP. Para escolher a opção que realmente vai salvar a sua pátria, clique em “Mostrar Opções de Formatação”. Aí você vai ver que o buraco é mais em baixo. Vai aparece uma opção chamada “Mastered”, e essa sim é a opção que nós escolheremos. Como você pode ver, não há opção de escolher multisessão ou não, isso porque esse recurso é padrão.

Grave o arquivo de vídeo com o recurso ou aplicativo que quiser (sendo em multisessão). Após a gravação 11 em 10 programas de gravação vão expulsar o Cd do drive, insira-o novamente e deixe a janela dele aberta.

Abra a sua apresentação e insira o vídeo procurando ele DENTRO DO CD ou do PENDRIVE. Insira-o, salve a apresentação, e se ela estiver finalizada arraste o arquivo dela para a janela aberta do Cd. Aquela caixinha de gravação vai abrir de novo, dá avançar e avançar até gravar.

Pronto, o vídeo de vocês passará diretinho no slide, independentemente de onde você apresentar ele.

No caso de Pendrives, a coisa fica muito mais simples, é só jogar o Vídeo lá dentro, e na hora de inserir, procurar o vídeo dentro do Pendrive. Ele vai funcionar mesmo de a letra (E:\, F:\ etc…) não for a mesma no computador da apresentação.

Agora você está se perguntando:

Ahh Marcelo, e que vídeo que eu PODERIA usar? O da Madonna???

Já que é assim, aqui vão mais algumas diquinhas básicas.

O YouTube é recheado de coisas interessantes e vídeos educativos. O problema é como baixar esses vídeos e o mais complicado, como fazê-los rodarem em qualquer computador.

Para baixar o vídeo eu recomendo o site KeepVid. É só inserir o link do vídeo do YouTube no campo e clicar em Download, em baixo, no Download Links. Como vai ser um vídeo que você vai carregar, recomendo baixar o tal no segundo link, em MP4, porque a qualidade dele é infinitamente superior à FLV. Para fazer o Download, clique com o botão direito do mouse no link desejado e escolha “Salvar Destino Como…” Isso pode ser feito também utilizando aceleradores de download, mas não é possível pausá-los. Após o download feito, você vai ter um arquivo no seu computador que na grande maioria das vezes não vai ser reconhecido. Para que ele seja reconhecido é necessário um pacote de codecs ou um programa conversor. Como eu não gosto muito de um monte de programinhas tomando conta do meu computador, instalei apenas o codec Xvid, e depois um programa Free de conversão chamado MediaCoder. O MediaCoder é um pouco chatinho de mexer, mas ele até que é um pouquinho intuitivo. Adicione os arquivos para serem convertidos e o formato de vídeo de saída. Como eu tenho o codec Xvid aqui, eu prefiro codificá-lo para este formato, mas lá existem outros formatos que podem ser utilizados. Eu nunca consegui converter pra outro formato a não ser Xvid que funcionasse… mas bem, se você não quiser instalar um programa no seu PC, tem as opções online como o Media Convert, mas já vou adiantando que ele também é chatinho de mexer, porque tem muitas opções o que acaba confundindo.

Ok, agora que o vídeo está baixado, convertido para um formato reconhecível pelo seu PC, está na hora de fazer ele ficar reconhecível para qualquer PC.

Temos agora que converter ele para WMV (Windows Media Video). É um formato que é reconhecido sem problemas por qualquer Windows que exista na face da terra. Para isso vamos utilizar o Windows Movie Maker ou o Windows Live Movie Maker (BETA).

Edite o seu vídeo, faça o que quiser com ele e depois escolha “Salvar Arquivo de Filme” (no XP) ou “Publicar Filme”.

Pronto. Seu vídeo está pronto para ser apresentado (não se esqueça de colocar as referências na apresentação hein?

Leiam Também meu Post sobre Estética e sobre Animações no Power Point.

Obs: Se o seu PC já reconhecer MP4, talvez o Movie Maker aceite o arquivo para conversão

Obs2: Se você conseguir fazer o MediaCoder converter o MP4 diretaço para WMV, o Movie Maker pode não ser necessário.

Obs3: Após instalar o Xvid, ele adiciona alguns filtros para serem utilizados no Movie Maker, só que acontece que esses filtros ao invés de ajudarem atrapalham na hora da conversão deixando metade da tela Verde com vídeo espremido em cima. Para sanar esse problema vá em Ferramentas > Opções > na guia “Compatibilidade” e Desmarque a caixa Xvid-MPEG-4 Video Decoder.

Obs4: Essa dica da inserção de vídeos funciona também com o Office Xp, 200x e acho que com o 97…

Atualização [04/08/2010] Se você tiver o Office 2010, esse tutorial não é necessário porque ele incorpora os vídeos na apresentação!

Aproveitem

Até a Próxima

16 Comentários

Arquivado em O Office 2007 e os Universitários

O Office 2007 e os Universitários

Inaugurarei a partir de hoje, uma categoria nova que se chama “O Office 2007 e os Universitários”. Os posts desta categoria terão por objetivo dar dicas de como aproveitar o máximo os recursos da suíte de programas (com ênfase em PowerPoint, Excel, Word e Outlook, que são os programas mais usados pelo universitários).

Darei dicas sobre os estilos rápidos no Word, técnicas de animação e multimídia no PowerPoint, como usar o Excel para diversão e como se organizar pelo Outlook.

Prepararei o primeiro post sobre como colocar vídeos diretamente no PowerPoint. Pode demorar um pouco porque é uma coisa que leva tempo.

Aguardem

Até a Próxima

Deixe um comentário

Arquivado em O Office 2007 e os Universitários